Monday, April 22, 2019

Dia da Terra 2019 : Protejamos as nossas Espécies !






créditos: Earth Day

E hoje, 22 de Abril, é comemorado em todo o mundo, o Dia da Terra (Earth Day). Como já é tradição, o Google aderiu à campanha publicando sua página principal um Doodle interactivo, substituindo o seu logo com uma versão mobile e para PC. 

Todos os anos, desde 1970, 22 de Abril celebra-se o Dia Mundial da Terra.  Este simbólico dia nasceu nos Estados Unidos, e foi oficializado pelo senador Gaylord Nelson

O parlamentar decretou o dia 22 de abril como Dia da Terra atendendo a movimentos ambientalistas que protestavam, desde 1969, por mais contrôlo e regulamentação das actividades que prejudicam o meio ambiente.

Em 2020, o Dia da Terra, e o movimento continua a inspirar uma sociedade cada vez mais consciente para esta causa, motivando à acção dos cidadãos a nível mundial.



Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019


Google Doodle:


Doodle faz uma viagem à volta do planeta para mostrar seis das formas de vida com características impressionantes. 





Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019


  • albatroz-errante: a ave com maior envergadura de todas as aves vivas e que é capaz de voar centenas de quilómetros sem bater as asas;




Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019

  • sequóia-vermelha: a árvore mais alta do mundo e que pode chegar à altura de 75 pessoas;




Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019

  • Paedophryne amauensis, um sapinho que detém o recorde mundial do menor sapo do mundo e menor vertebrado, descoberto em 2009 na Papua-Nova Guiné. É do tamanho de uma moeda;





Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019

  • O Lírio da água amazónica, Amazon water lily, uma das maiores plantas aquáticas do mundo. Uma pessoa pequena pode sentar nela;





Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019

  • celacanto, um peixe que é a espécie animal viva mais antiga do mundo, com 407 milhões de anos, ou seja, é da época dos dinossauros;




Google Doodle interactivo Dia da Terra 2019

  • E o Colêmbolo de gruta profunda, um artrópode (do mesmo área que os escorpiões, parente dos insectos) que vive a 2 quilómetros abaixo da superfície e é o animal mais "profundo" do mundo. 

  • Ao clicar na primeira imagem, é possível ver o primeiro organismo e o motivo de ele ter sido eleito para integrar o Doodle de hoje. Ao tocar na seta para baixo, o slide seguinte é exibido com outras informações. 

  • Há também uma lupa para quem quiser saber mais sobre o Dia da Terra e a opção de compartilhar este Doodle no Twitter, Facebook, ou por e-mail.
Temos aqui apenas uma pequena parte da diversidade, da singularidade e das maravilhas encontradas entre as formas de vida no planeta que chamamos Mother Earth.










E tudo isto nos remete para o tema 2019:

Tema 2019: Protejamos as nossas Espécies

O Dia é da Terra, mas somos nós humanos que estamos sob foco, desde o desaparecimento de animais ao desgaste de recursos do planeta. Estima-se que o homem tenha impactado 83% da superfície terrestre. 


A situação ambiental no nosso planeta tem-se alterado de forma alarmante desde 1970, ano em que o Dia da Terra começou a ser celebrado: segundo a associação Zero40% dos animais do nosso planeta desapareceram desde aquele ano.
E depois de ter visualizado o vídeo da BBC não nos restam dúvidas em relação aos ursos polares e outros animais, também polares.




Focas do Árctico
É o caso de duas espécies de focas do Árctico que, pela perda de gelo Duas espécies de focas do Ártico estão ameaçadas e recebem a protecção necessária sob a Lei de Espécies Ameaçadas.
De acordo com a Zero, a Terra enfrenta “a maior taxa de extinção desde que perdemos os dinossauros há mais de 60 milhões de anos”. O motivo? Os humanos e as suas actividades. 
“Alterações climáticas, desflorestação, perda de habitat, tráfico e caça furtiva, agricultura insustentável, poluição e uso de pesticidas”, são algumas das causas para a diminuição da biodiversidade.




Earth Day 2019

April 22, 2019! Earth Day’s 49th anniversary of a movement that continues to inspire, challenge ideas, ignite passion, and motivate people to action.

And Earth Day is a special day for schools! All over the world, teachers and students involve on awesome activities and projects to commit to actions that go beyond the planet.





GoogleDoodle interactive slideshow Earth Day 2019

This year's annual Earth Day Doodle takes us around the planet we call home to discover some of the awe-inspiring organisms which inhabit it. 

Specifically, the interactive slideshow Doodle explores six organisms across elevations—along with their earthly superlative! You could watch them up.

Students will love it. It´s a slideshow for mobile and pc. Wow! How nice!






Only 5 to 10 Arctic foxes are observed 
within Finland's borders annually
credits: AOP



Earth Day 2019's theme is :

Protect Our Species

According to the Earth Day NetworkNature’s gifts to our planet are the millions of species that we know and love, and many more that remain to be discovered. 

Unfortunately, human beings have irrevocably upset the balance of nature and, as a result, the world is facing the greatest rate of extinction since we lost the dinosaurs more than 60 million years ago. 

But unlike the fate of the dinosaurs, the rapid extinction of species in our world today is the result of human activity.








The unprecedented global destruction and rapid reduction of plant and wildlife populations are directly linked to causes driven by human activity: climate change,deforestation, habitat loss, trafficking and poaching, unsustainable agriculture, pollution and pesticides to name a few. The impacts are far reaching. Read more here





Wow! Don't miss this opportunity! You are the climate generation, remember? You are streaking school on Friday to protest against climate change.
Climate change is one of the largest threats to sustainable development globally and is just one of many imbalances caused by the unsustainable actions of humankind, with direct implications for future generations.

Geração 'explorer'

22.04.2019

Licença Creative Commons


credits: videos: The National Geographic/ The Guardian Environment


Tuesday, April 9, 2019

Antárctida : Plataforma Brunt prestes a desprender-se





Brunt Ice Shelf

Cientistas acreditam que dentro de dois meses poderá existir um novo icebergue com uma área de 1 500 quilómetros quadrados e uma espessura entre os 150 e 250 metros. No entanto, nada indica que este fenómeno seja consequência das alterações climáticas

Sabe que 1 200 quilómteros quadrados são quase o equivalente à área da cidade de Nova Iorque. É essa a dimensão do icebergue que está prestes a soltar-se da Antárctida. O desprendimento deste enorme bloco de gelo já é controlada há alguns anos, mas os cientistas alertam agora que entrou “na fase final”.






O futuro icebergue (ainda não o é porque ainda está agarrado à Antárctida), conhecido como Brunt Ice Shelf, vai ter uma dimensão de 1 500 Km2 e uma espessura que pode variar entre os 150 e os 250 metros. 

A primeira fissura surgiu há 35 anos e, em 2012, voltou a dar sinais de movimento. Desde então, tem aumentado continuamente. Há três anos, apareceu mais uma. Quando ambas se encontrarem em determinado ponto, o mais provável é que a tal separação aconteça.





credits: NASA

"O que muitas pessoas não percebem é que este é um processo natural que acontece várias vezes. Reconhecemos que o impacto das alterações climáticas é um problema bastante grave e com consequências em todo o mundo, sobretudo na Antárctida. No entanto, não há qualquer indicação nas nossas investigações de que este acontecimento em particular esteja relacionado de alguma forma com as alterações climáticas” 

Hilmar Gudmundsson, cientista “New Atlas”.

Os cientistas Jan De Rydt e Hilmar Gudmundsson passaram anos estudando o local e afirmam que o desprendimento será resultado de um processo de erosão natural.

A separação, estimam, deve acontecer dentro de dois meses. Segundo os investigadores, não é expectável que este acontecimento provoque a subida do nível das águas, uma vez que o bloco gigante de gelo já flutua no oceano e, devido ao peso, já afasta a mesma quantidade de água do que aquela que irá acrescentar ao mar quando começar a derreter.





An overview of the Brunt Ice Shelf, showing the Halloween Crack, the McDonald Ice Rumples, 
the two sites of the Halley Research Station, and the two Chasms
credits: British Antarctic Survey

Cracks growing across Antarctica’s Brunt Ice Shelf are poised to release an iceberg with an area about twice the size of New York City. It is not yet clear how the remaining ice shelf will respond following the break, posing an uncertain future for scientific infrastructure and a human presence on the shelf that was first established in 1955.






The huge iceberg is set to soon break off from the Brunt Ice Shelf in Antarctica. With two large cracks due to meet within the next few months, a research station has already been relocated as scientists watch the rifting event enter its "final phase."

The soon-to-be-born iceberg would measure more than 1,500 sq km (580 sq mi), and is between 150 and 250 m (492 and 820 ft) thick. Researchers have been watching the Brunt Ice Shelf carefully since 2012, when a crack that had sat dormant for 35 years suddenly showed signs of movement again. Chasm 1, as it's known, has grown steadily over the last seven years.





Jan De Rydt/Northumbria Uiniversity
British Antarctic Survey
via Popular Mechanics

"What many people do not realize is that this is a natural process and something which has happened time and again," says Hilmar Gudmundsson, an author of a study examining the calving event. "We recognize that climate change is a serious problem which is having an impact around the world, and particularly in the Antarctic. However, there is no indication from our research that this particular event is related to climate change." Read more here


Geração Polar

09.04.2019

Licença Creative Commons

References:

credits: videos Northumbria University/ British Antarctic Survey

Expresso/ Ciência | New Atlas/ Environment

NASA Earth Observatory

Monday, April 8, 2019

Apresentação Projecto : Geração Polar, a simple presentation






A Escola Francisco Torrinha, Porto, representada pelos alunos das turmas C | I do 6º Ano, no âmbito da Área Curricular Disciplinar de Língua Portuguesa e Áreas Curriculares não Disciplinares de Formação Cívica e Estudo Acompanhado leccionadas pela Professora Gina Souto, participou no Projecto Nacional LATITUDE 60 - Educação para o Planeta no Ano Polar Internacional 2007-08.

O projecto Torrinhas Exploradores Polares, actualmente Geração Polar, nasceu da ideia participar no concurso À Descoberta das Regiões Polares. No entanto, o blogue não foi admitido no concurso, em virtude da categoria estar prevista só para alunos do 3º ciclo.

Isto não deveria ser impeditivo, dado que a construção do conhecimento não passa obrigatoriamente pelos níveis de ensino. E ainda bem! O que seria dos alunos sobredotados!

Compete aos Professores adaptar as competências e aprendizagens ao perfil dos alunos que lecciona e não permitir que os estes com elevado nível de competências fiquem retidos num um nível de ensino, neste caso 2º ciclo, que já não cobre as suas reais aptências. 

Os alunos devem avançar para outras aprendizagens, previstas para o nível de estudos seguinte, dando-lhes a oportunidade de alargar os seus conhecimentos e incentivar o seu excelente desempenho.






imagem: via Google images

Os ex Torrinhas Geração Polar, actual Geração Polar adquiriram competências no domínio das TIC que nem sequer estavam previstas para nos currículos. As TIC passaram a fazer parte dos currículos de Língua Portuguesa e Francês Língua Estrangeira, pela experiência  da Professora GSouto que já tinha vasta experiência na área da Inovação & Educação, e a introduziu nas suas áreas curriculares de Línguas e áreas não curriculares de Formação Cívica e Estudo Acompanhado.

Os alunos adquiriram competências e realizaram projectos em tempos curriculares e extracurriculares. Estas aprendizagens tiveram lugar em regime de voluntariado, alunos e Professora (duas horas semanais) e funcionaram como actividades de enriquecimento curricular.

É pois com muito empenhamento, entusiasmo, alegria, que chegam ao final do ano lectivo e de ciclo, mais aptos, e muito orgulhosos ao apresentar o seu projecto web - Torrinhas Exploradores Polares, hoje Geração Polar, já que há vários anos saíram da escola e prosseguiram os seus estudos em outras escolas e universidades.

Alcançaram os seus objectivos! Superaram as competências previstas para o 2º ciclo, com a aquisição de novas competências não previstas para o nível de ensino que frequentavam e alcançaram as previstas para os ciclos de estudos seguintes.

Todos estão de parabéns! O grupo de alunos que tornou possível este blogue e todos os seus colegas - turmas 6C e 6I - que apoiaram este pequeno grupo nas pesquisas e recolha de informação.

Foi um gosto imenso trabalhar com estes jovens inovadores que me acompanharam no meu sonho de transformar o ensino num ritmo sequencial sem amarras a um determinado perfil.

Hoje seguem seus estudos em diferentes faculdades, mas continuamos, sempre que temos algum tempo disponível, a divulgar assuntos ligados à Educação Polar numa estreita comunidade online, já que todos somos atentos ambientalistas.

A students' project inspired on International Polar Year (IPY) 2007-2008.








This blog Geração Polar (Polar Gen) developed in Languages curriculum was created by students of a Secondary school in Porto, Portugal, as a curricular and extra-curricular activity to participate at the International Polar Year (IPY). 

For two years, the students worked on this project Geração Polar.One hour per week, my students and I went to school in an extra-curricular time to prepare the texts, to choose the themes and photos, making a serious research about Polar environment.






Education and Outreach

There are many ways you and your project members can get involved in Education and Outreach, such as contributing to IPY Blogs, working with local)schools and science centres, or doing media interviews.(...)



www.ipy.org



Now, only few students and me continue this blog project, in a distance online collaboration.

They are publishing, news, stories concerning Polar Education, when they have some time. I am tutoring as a collaborator. 

I don't teach face-to-face anymore at this school neither the students are studying in the same school. They grew-up and are studying in different colleges in different areas: biology, music, engineering, IT, sciences, literature, economy, sport.

Together, we continue the blog Geração Polar with the same enthusiasm as environmentalists.

A Professora Coordenadora| The Tutor Coordinator

GSouto

19.06.2007


Creative Commons License


Actualizado em 09.04.2019
Updated April 09, 2019