Sunday, August 18, 2019

Pausa Férias : Colapso icebergue no Alaska : "Sorte de estar vivos !





Spencer Glacier Collapse
credits: Home With the Hoopers
via © SIC Notícias

Andrew Hooper e Josh Basty, dois canoístas de kayak testemunharam o glaciar 
Spencer colapsou, mesmo bem perto. Um susto enorme!

Ambos tinham as câmaras apontadas para o colapso que fora anunciado. Mas o susto foi grande! Não esperavam tão forte abalo.

Andrew Hooper e Josh Basty trabalham nos canais YouTube de Steering South e Home With the Hoopers.






Spencer Glacier Collapse
credits: Home With the Hoopers
No vídeo publicado por um dos canoístas ouve-se o gelo a quebrar e, uns minutos mais tarde, vê-se o glaciar a colapsar com violência na água. Nesse momento é projectada uma massa de água na direcção dos dois homens.
Um dos protagonistas da história com final feliz grita "Temos sorte de estar vivos".



Two kayakers just escaped with their lives after a massive glacier collapsed in front of them in Alaska.
A glacier has collapsed and sent a wall of icy water straight at two kayakers who had approached the cliff after hearing cracking noises.





Spencer Glacier Collapse
credits: Home With the Hoopers
Two kayakers at Spencer Glacier in Alaska are lucky they weren’t any closer to a glacial bridge that collapsed or it could have been catastrophic. As it was, Josh Bastyr and Andrew Hooper were pelted pretty good from the explosive fallout, as captured in Bastyr’s Steering South video (the real action begins at the 40-second mark).
The incident occurred last Saturday 17 August during an overnight camping and kayak trip to Spencer Glacier


The kayakers filmed as the huge chunk of ice dropped away and created a surge of water.
The kayakers, who operate the YouTube channels Steering South and Home With the Hoopers, wrote about their harrowing experience online.

"Andrew from Home With the Hoopers and I took a trip to Spencer Glacier for a one night camping and kayaking adventure. After setting up camp we hit the glacial lake for some awesome kayaking," 

Josh Bastyr, on Steering South


Spencer Glacier Collapse
credits: Home With the Hoopers
"We made the 1.5 mile (2.4km) trek to the glacier and started hearing calving in the distance. We decided to investigate the noises and came face to face with one of nature's most awesome forces."
Bastyr added that it was one of the most intense things he ever witnessed and said they're both lucky to be alive.



Spencer Glacier Collapse
credits: Home With the Hoopers
A chunk of a glacier calved about 50 foot (15 metres) from us and created a 10-12 foot (3- 3.7 metre) wave. We were pelted with chunks of flying ice and buckets of water. To say we are lucky to be alive is an understatement," Hooper wrote on his channel.
"We learned our lesson and will give glaciers the space they deserve next time we are out exploring."
Spencer Glacier rises 1067 metres, and is located in the Chugach National Forest about 100km south of Anchorage. Read more here

Boas férias! Voltamos em Setembro! Não esqueças de visitar o nosso blog Geração Verde Portugal!
Have a nice time if you are in holidays! We will be back in September! By the way, don't forget to visit our green blog Geração Verde Portugal
Geração 'explorer'
18.08.2019
Licença Creative Commons


sources: Sic Notícias/ USToday Sports/Nine.com.au

Friday, August 16, 2019

Apresentação Projecto : Geração Polar, a simple presentation






A Escola Francisco Torrinha, Porto, representada pelos alunos das turmas C | I do 6º Ano, no âmbito da Área Curricular Disciplinar de Língua Portuguesa e Áreas Curriculares não Disciplinares de Formação Cívica e Estudo Acompanhado leccionadas pela Professora Gina Souto, participou no Projecto Nacional LATITUDE 60 - Educação para o Planeta no Ano Polar Internacional 2007-08.

O projecto Torrinhas Exploradores Polares, actualmente Geração Polar, nasceu da ideia participar no concurso À Descoberta das Regiões Polares. No entanto, o blogue não foi admitido no concurso, em virtude da categoria estar prevista só para alunos do 3º ciclo.

Isto não deveria ser impeditivo, dado que a construção do conhecimento não passa obrigatoriamente pelos níveis de ensino. E ainda bem! O que seria dos alunos sobredotados!

Compete aos Professores adaptar as competências e aprendizagens ao perfil dos alunos que lecciona e não permitir que os estes com elevado nível de competências fiquem retidos num um nível de ensino, neste caso 2º ciclo, que já não cobre as suas reais aptências. 

Os alunos devem avançar para outras aprendizagens, previstas para o nível de estudos seguinte, dando-lhes a oportunidade de alargar os seus conhecimentos e incentivar o seu excelente desempenho.






imagem: via Google images

Os ex Torrinhas Geração Polar, actual Geração Polar adquiriram competências no domínio das TIC que nem sequer estavam previstas para nos currículos. As TIC passaram a fazer parte dos currículos de Língua Portuguesa e Francês Língua Estrangeira, pela experiência  da Professora GSouto que já tinha vasta experiência na área da Inovação & Educação, e a introduziu nas suas áreas curriculares de Línguas e áreas não curriculares de Formação Cívica e Estudo Acompanhado.

Os alunos adquiriram competências e realizaram projectos em tempos curriculares e extracurriculares. Estas aprendizagens tiveram lugar em regime de voluntariado, alunos e Professora (duas horas semanais) e funcionaram como actividades de enriquecimento curricular.

É pois com muito empenhamento, entusiasmo, alegria, que chegam ao final do ano lectivo e de ciclo, mais aptos, e muito orgulhosos ao apresentar o seu projecto web - Torrinhas Exploradores Polares, hoje Geração Polar, já que há vários anos saíram da escola e prosseguiram os seus estudos em outras escolas e universidades.

Alcançaram os seus objectivos! Superaram as competências previstas para o 2º ciclo, com a aquisição de novas competências não previstas para o nível de ensino que frequentavam e alcançaram as previstas para os ciclos de estudos seguintes.

Todos estão de parabéns! O grupo de alunos que tornou possível este blogue e todos os seus colegas - turmas 6C e 6I - que apoiaram este pequeno grupo nas pesquisas e recolha de informação.

Foi um gosto imenso trabalhar com estes jovens inovadores que me acompanharam no meu sonho de transformar o ensino num ritmo sequencial sem amarras a um determinado perfil.

Hoje seguem seus estudos em diferentes faculdades, mas continuamos, sempre que temos algum tempo disponível, a divulgar assuntos ligados à Educação Polar numa estreita comunidade online, já que todos somos atentos ambientalistas.

A students' project inspired on International Polar Year (IPY) 2007-2008.








This blog Geração Polar (Polar Gen) developed in Languages curriculum was created by students of a Secondary school in Porto, Portugal, as a curricular and extra-curricular activity to participate at the International Polar Year (IPY). 

For two years, the students worked on this project Geração Polar.One hour per week, my students and I went to school in an extra-curricular time to prepare the texts, to choose the themes and photos, making a serious research about Polar environment.






Education and Outreach

There are many ways you and your project members can get involved in Education and Outreach, such as contributing to IPY Blogs, working with local)schools and science centres, or doing media interviews.(...)



www.ipy.org



Now, only few students and me continue this blog project, in a distance online collaboration.

They are publishing, news, stories concerning Polar Education, when they have some time. I am tutoring as a collaborator. 

I don't teach face-to-face anymore at this school neither the students are studying in the same school. They grew-up and are studying in different colleges in different areas: biology, music, engineering, IT, sciences, literature, economy, sport.

Together, we continue the blog Geração Polar with the same enthusiasm as environmentalists.

A Professora Coordenadora| The Tutor Coordinator

GSouto

19.06.2007


Creative Commons License


Actualizado em 18.08.2019
Updated August 18,2019

Tuesday, July 9, 2019

Himalaias : grupo de alpinistas morre ao escalar Nandi Devi, Himalaias







Imagem revelada pela câmara de filmar encontrada nos Himalaias

As autoridades indianas divulgaram um vídeo com o grupo de alpinistas que morreu em Maio nas montanhas dos Himalaias. As imagens foram captadas por uma câmara que estava enterrada na neve, perto do local onde os corpos foram encontrados.
As equipas de socorrismo indianas retiraram no dia 3 Julho, os corpos de sete dos alpinistas mortos numa avalanche no Nanda Devi, um dos picos mais altos dos Himalaias, segundo as autoridades locais.
As buscas continuam com o objectivo de encontrar o corpo do último alpinista, Martin Moran, o guia do grupo.
De acordo com a BBC, "o grupo perdeu o contacto no dia 26 de Maio, quando tentava subir o segundo pico mais alto da Índia, o Nanda Devi".






Nanda Devi, pico Himalaias
credits: via Trekeveda
Os alpinistas - quatro britânicos, dois americanos, um indiano e uma australiana, estavam desaparecidos há seis semanas nas montanhas do Nanda Devi, o segundo pico mais alto do país localizado no estado de Uttarakhand (norte).
No final de uma operação longa e perigosa, os socorristas de alta montanha encontraram há 10 dias sete corpos amarrados a uma parede de neve. As buscas foram abandonadas para encontrar a oitava vítima, cuja identidade não foi revelada.
Quatro outros alpinistas britânicos que se tinham separado do grupo principal, ajudaram as equipas a localizar os restantes elementos do grupo-
Sendo a área inacessível aos helicópteros, os corpos tiveram de ser levados a pé até ao acampamento base. De lá, quatro deles foram transportados esta quarta-feira de manhã por via aérea para Pithoragarh, a principal cidade da região. Os restantes três corpos foram transferidos durante o dia 3 Julho.
Os alpinistas desaparecidos tinham comunicado pela última vez no dia 26 de Maio, véspera de grandes nevões e de avalanches. 
As operações de busca foram dificultadas pelo mau tempo e pelas dificuldades do terreno.





Equipa de socorro ITBP
créditos: AP
Equipa de socorro ITBP enfrentou vários desafios para trazer de volta os corpos e os pertences dos alpinistas

Encontrada hoje a câmara que contém a últimas imagens do grupo. Estava enterrada na neve e foi encontrada pela guarda fronteiriça indo-tibetana (ITBP) perto do local onde foram encontrados sete dos oito corpos dos montanhistas.
No vídeo, de quase dois minutos, ouve-se sobretudo o vento e é possível ver as últimas imagens de quatro britânicos, dois americanos, um australiano e um indiano, amarrados uns aos outros por uma corda enquanto caminhavam no "tecto do mundo".





Remote peak of Nanda Devi mountain in India
credits: Getty Images
De acordo com a BBC, o grupo, liderado pelo experiente montanhista britânico Martin Moran - cujo corpo ainda não foi encontrado -, começou a escalar o Nanda Devi, um dos picos mais altos dos Himalaias, com 7816 metros de altitude, a 13 de Maio. O contacto com os montanhistas perdeu-se no dia 26 do mesmo mês.
Vivek Kumar Pandey, porta-voz da força policial indiana, refere que o peso do grupo pode ter causado uma queda de neve "desencadeando uma avalanche".
As imagens estão agora a ser analisadas para se perceber "o que correu mal na missão", conforme explicou o porta-voz da ITBP sobre o grupo de alpinistas que tentava escalar o Nanda Devi, o 23º ponto mais alto do mundo.

As mortes de alpinistas não param nos Himalaias, nos Alpes, no Monte EveresteE outros trilhos nas altas montanhas, devido a avalanches constantes.

Cientistas alertam para as alterações climáticas e para o perigo crescente desta actividade.



Today, Indian officials say they have recovered an action camera which was being used by eight climbers who died in the Himalayas.
The group were using the camera during their climb to Nanda Devi - India's second highest peak.


The expedition team failed to return from an attempted climbing of the remote Nanda Devi East peak in India. 

Local climbers reported there had been an avalanche on their proposed route and the team could be trapped. The expedition was being led by renowned British guide Martin Moran.

They left on May 13 to scale an unclimbed peak at 6,477m and were scheduled to return on May 31.




Nanda Devi mountain in the northern Himalayan state of Uttarakhand 
credits: STRINGER/Reuters

Eight climbers were attempting to climb India's second-highest peak Nanda Devi when contact was lost last 26 May.

The body of seven have been recovered last month.

Today, 9 July, Indian officials say they have recovered an action camera which was being used by eight climbers who died in the Himalayas.The eight climbers, four English, two American, an Australian woman, and an Indian. The group were using the camera during their climb to Nanda Devi - India's second highest peak.

This is the last footage shot by the group pf climbers. They went missing on 26 May while trying to climb India's second highest peak Nanda Devi.

On of the bodys, Martin Moran, renowned British guide is yet to be recovered.

So sad! There are more and more climbers who die in the last years due avalanches in the Himalayas, Nepal, Mount Everest, French and Swiss Alpes.


Climbing to the roof of the world is becoming less predictable and possibly more dangerous, scientists say, as climate change brings warmer temperatures that may eat through the ice and snow on Mount Everest and other climbing sites.

It may be important to change some usual events as hiking due climate change. We are deeply sorry for all the climbers and their families.


Geração 'explorer' 

09.07.2019


Licença Creative Commons


Wednesday, June 5, 2019

Dia Mundial do Ambiente : Contra a Poluição do Ar






Beat Air Pollution
créditos: UNESCO


"It is time to act decisively. My message to governments is clear: tax pollution; end fossil fuel subsidies; and stop building new coal plants. We need a green economy not a grey economy." 

— Secretary-General, António Guterres

Dia Mundial do Ambiente celebrada-se todos os anos a 5 de JunhoDia Mundial do Ambiente foi estabelecido pela Assembleia Geral das Nações Unidas (UN), para marcar a abertura da Conferência de Estocolmo de 1972. 

Foi o primeiro passo para que a ONU e governos de diversos países evidenciassem a necessidade de se prestar mais atenção ao Meio Ambiente O Dia Mundial do Ambiente foi celebrado pela primeira vez em 1974.





Banksy's take on industrial pollution 
credits: Ben Birchall/PA Wire/PA Images
via EchoLive.ie


Tal como podemos ler no excerto da mensagem do Secretário-Geral da ONU, António Guterres, o apelo é para a mudança de comportamentos por parte dos governos a nível mundial.
Desde o seu início, em 1974, o Dia Mundial do Ambiente desenvolveu-se e tornou-se uma plataforma para a sensibilização e tomada de acção relativamente a assuntos cada vez mais urgentes, desde a poluição marinha ao aquecimento global, passando pelo consumo sustentável, o crime contra a vida selvagem, o degelo na Antárctida.




Milhões de pessoas em todo o mundo estão cada vez mais motivadas agir contra a poluição do ar. E se unem cada vez em movimentos ecologistas
Tema 2018: "Unidos por um Planeta sem Poluição do Ar

via SNS Portugal
A poluição do ar está por toda parte. Nove em cada dez pessoas no mundo estão expostas a altos níveis de poluição do ar, que excedem os números considerados seguros pela Organização Mundial da Saúde, e que causam a morte prematura de cerca de sete milhões de pessoas por ano. 
A poluição do ar origina, ainda, uma série de problemas de saúde e um menor desenvolvimento intelectual.


Cada Dia Mundial do Meio Ambiente tem um país anfitrião diferente – em 2019, é a China – onde as celebrações globais oficiais decorrem. Escolhido pelo país que acolhe as celebrações, o tema convida à reflexão sobre mudanças na vida quotidianas para reduzir a poluição do ar, o que, por sua vez, também pode diminuir as emissões de gases de efeito de estufa e melhorar a saúde das pessoas.
Participa ou junta-te aos eventos aqui



Today, 5 June, we are celebrating the World Environment Day! Each World Environment Day is organized around a theme that focuses attention on a particularly pressing environmental concern. 

Governments, industry, communities and individuals around the world today commemorated World Environment Day, the United Nations’ biggest annual event for positive environmental action, encouraging worldwide awareness and commitment to protect our planet.





credits: UNEP


Theme 2019: Beat Air Pollution


This year’s celebrations, held under the theme ‘Beat Air Pollution’, called upon people to explore renewable energy and green technologies, and improve air quality in cities and regions across the world. 

More than 6 billion people – one-third of them children – regularly breathe air that is so polluted it puts their health and well-being at risk.






Spearheaded by China, the official host of the global World Environment Day celebrations, UN Environment’s campaign to #BeatAirPollution culminated into a record number of registered events and commitments.

“Protecting our blue skies may be difficult, but our future relies on it,” Joyce Msuya, acting Executive Director of UN Environment, said during the global celebrations in Hangzhou. “And they are our blue skies. It doesn’t matter if you’re in Beijing or Beirut, when we look up we see the same sky. And I think when we look to China, we see many examples of how to protect it.” 







Nine out of ten people breathe polluted air. From 24 May, through to #WorldEnvironmentDay on June 5, UN was calling on everyone to join the Mask Challenge

Face masks are a great symbol to show leaders we want to breathe clean air. Alongside celebrities, influencers and creators, the World Environment Day campaign invites everyone. Read more here


It's time to beat air pollution!

Geração 'explorer'

0.06.2019