Friday, July 17, 2015

Montanhas geladas em Plutão



Pela primeira vez na história, uma sonda feita por humanos conseguiu passar muito perto de Plutão, o mais famoso planeta-anão do sistema solar. Aconteceu na terça-feira passada, dia 14 Julho 2015.
Stephen Hawking, o cientista que todos conhecemos e admirámos, congratulou todos os cientistas da NASA por este feito que ficará na história da ciência e  da astronomia.



O feito é extraordinário. Os parabéns vão todos para os cientistas da NASA que conseguiram encontrar-se com uma "pequena pedra gelada", com cerca de 2.400 quilómetros de diâmetro, a uma distância de quase 5 mil milhões de quilómetros de distância, mais de 9 anos no futuro, segundo as palavras de Hawking.


New Horizons & Pluto
Quando a sonda New Horizons foi lançada da Terra, a 19 de Janeiro de 2006, nem Plutão estava no local actual, nem a Terra estava no local actual, nem sequer o Sol (e sua família) estavam no local actual.


Plutão
Credits: NASA/JHUAPL/SWRI
Mas as novidades continuam a chegar novidades de Plutão. A mais recente imagem enviada pela sonda New Horizons revela a existência de planícies geladas naquele planeta situado nos confins do sistema solar.
De acordo com a agência espacial norte-americana NASA, a foto ampliada mostra uma vasta planície, sem crateras, que aparenta ter mais de 100 milhões de anos.
Esta zona de Plutão agora conhecida ainda estará a ser moldada por actividade geológica, explica a agência espacial norte-americana.
A planície fica a norte de uma cadeia de montanhas, numa região que vista do espaço tem o formato de coração, que recebeu o nome “Tombaugh Regio”, já considerada um dos símbolos do planeta.
"Este terreno não é fácil de explicar. A descoberta de vastas planícies muito jovens, sem crateras, em Plutão ultrapassa todas as expectativas que havia antes da missão"

Jeff Moore 
(chefe da equipa de mapeamento, geologia e geofísica da New Horizons)


Depois de uma viagem que durou mais de nove anos e em que percorreu 4,8 mil milhões de quilómetros, a “New Horizons” aproximou-se de Plutão na passada erça-feira.

Nunca uma criação do homem tinha chegado tão perto do planeta-anão situado nos limites do sistema solar, descoberto em 1930, por Clyde Tombaugh.



credits : NASA
In the latest data from NASA’s New Horizons spacecraft, a new close-up image of Pluto reveals a vast, craterless plain that appears to be no more than 100 million years old, and is possibly still being shaped by geologic processes. 

This frozen region is north of Pluto’s icy mountains, in the center-left of the heart feature, informally named “Tombaugh Regio” (Tombaugh Region) after Clyde Tombaugh, who discovered Pluto in 1930.

“This terrain is not easy to explain,” said Jeff Moore, leader of the New Horizons Geology, Geophysics and Imaging Team (GGI) at NASA’s Ames Research Center in Moffett Field, California. “The discovery of vast, craterless, very young plains on Pluto exceeds all pre-flyby expectations.”

This fascinating icy plains region - resembling frozen mud cracks on Earth - has been informally named “Sputnik Planum” (Sputnik Plain) after the Earth’s first artificial satellite. Read more here

NASA website



Stephen Hawking praises NASA
British physicist Stephen Hawking praised Nasa's 'pioneering, decade-long mission' after the New Horizons spacecraft completed a dramatic flyby of Pluto, considered the last unexplored world in our solar system. The probe's journey to reach the dwarf planet spanned nine years and a distance of three billion miles (4.8bn km). 
For 85 years, it was little more than a featureless grey blob on classroom maps of the solar system. On Wednesday night, July 15, 2015, Pluto was revealed in high resolution for the first time, revealing dramatic mountain ranges made from solid water ice on a scale to rival the Alps or the Rockies.

Geração Polar
17.07.2015
Creative Commons License

No comments: